A carga tributária na Austrália é bastante alta também, mas diferente do Brasil em alguns aspectos.

O imposto mais comum no dia-a-dia é o GST, o imposto sobre bens e serviços, que foi instituído no ano 2000 em uma taxa de 10%. Ele não é um imposto de venda, ou seja, diferentemente dos Estados Unidos por exemplo, o valor do produto que você vê na prateleira das lojas é o valor que você efetivamente paga no caixa. De qualquer forma no seu recibo o valor do imposto vai vir separado do valor total do item. No caso de prestação de serviço os orçamentos são normalmente passados no formato: valor + GST. Um exemplo é o meu contador que me cobra 200 dólares + GST por trimestre pelo seu serviço – O valor que eu efetivamente desembolso para pagá-lo é de 220 dólares então.

O imposto de renda é até mais pesado que no Brasil para algumas faixas de renda:

  • Até 6 mil dólares por ano é isento.
  • De 6 à 37 mil dólares por ano varia entre 0 e 12%.
  • De 37 à 80 mil dólares por ano varia entre 12 e 22%.
  • De 80 à 180 mil por ano vai de 22 à 30%.
  • Acima de 180 mil dólares por ano o valor chega a 45%!

Eu ainda não sei bem como funciona o processo de restituição do imposto de renda.

A questão da aposentadoria é um pouco diferente do usual e funciona quase como uma previdência privada obrigatória. Existe um valor mínimo de 9% do seu salário que deve obrigatoriamente ser depositado (por você ou seu empregador, dependendo da forma de trabalho e do tipo de contrato firmado) numa conta de supperannuation. Existe uma gama enorme de empresas que oferecem esse serviço e são em sua maioria privadas – a diferença entre elas se dá na taxa de manutenção da conta, nos planos de investimento do seu dinheiro, no valor mínimo para abertura da conta, entre outros.

O ponto principal é que você só tem direito a sacar esse dinheiro no momento de sua aposentadoria, que atualmente se dá aos 67 anos para aqueles, assim como eu, nascidos a partir de 1957. Existem algumas pouquíssimas brechas para que esse dinheiro seja sacado antes: A primeira delas é conseguir provar que está em bankruptcy, com sua família passando fome e com a sua casa prestes a ser tomada por falta de pagamento. A segunda maneira é para quem não é cidadão australiano e volta para o seu país de origem de maneira definitiva.

O conceito de aposentadoria como se conhece no Brasil, com o governo pagando uma pensão mensal ao aposentado, também existe aqui, mas são poucas as pessoas elegíveis a ela. Você precisa comprovar, além da idade e um tempo mínimo de 10 anos de residência no país, que não tem condição de se sustentar sem esse dinheiro. É feita uma análise dos seus bens, dos valores por você recebido nos últimos anos, a atual renda familiar e também do valor que você tem direito a sacar de supperannuation e somente após isso é dado um parecer se você tem direito a pensão ou não. Na prática é o seguinte: Se aos 67 anos de idade você tiver um imóvel quitado, um carro e ter recolhido supperannuation pelos últimos 15 ou 20 anos … esqueça a pensão.

Anúncios