Já estamos no final de maio, torneio de Roland Garros em sua metade e eu ainda não tinha escrito sobre os eventos de tênis de início de ano na Austrália. Para aqueles que já sabem que tênis é o melhor esporte do mundo, a Austrália em janeiro é definitivamente o lugar pra se estar.

Existem 4 principais torneios de tênis durante o ano, o chamado Grand Slam, a saber: Aberto da Austrália (Melbourne em Janeiro), Roland Garros (Paris em Maio), Wimbledon (Londres em Junho) e o aberto dos Estados Unidos (Nova York, normalmente em agosto) e uma série de torneios preparatórios para esses grandes eventos, realizados nas semanas que os antecedem, mais ou menos na mesma região, no mesmo tipo de quadra, com a mesma marca de bolas, etc.

Um dos torneios preparatórios para o Aberto da Austrália é justamente o ATP de Sydney, que acontece na semana anterior ao evento em Melbourne. O torneio é bastante interessante e é jogado tanto por homens quanto por mulheres (não são todos os torneios de tênis que são jogados dessa forma, grande parte deles são jogados ou por homens ou por mulheres) e esse ano atraiu 8 das 10 primeiras mulheres do ranking, apesar de nenhum top10 masculino.

O ATP de Sydney é realizado no Sydney Olympic Park, um complexo gigantesco onde foram realizados os jogos de 2000. O parque é um pouco afastado do centro da cidade, aproximadamente 40 minutos de trem, mas de qualquer forma é interessante ver como ele foi concebido e vem sendo reusado depois das olimpíadas: muitos dos eventos esportivos passaram a ser disputados por lá, assim como uma parte significativa dos shows, concertos e outros tipos de evento.

E é sempre interessante estar em um lugar onde a história do esporte aconteceu. Na quadra central do complexo de tênis, lembro que Kafelnikov ganhou do Guga por 2×0 e caminhou tranquilo pra final, onde venceu Tommy Haas, que nas semi-finais venceu Roger Federer (na época apenas um promissor jogador, quem diria). Kafelnikov ficou com o ouro e o Federer, incrivelmente, perdeu a disputa do bronze para um francês, que sinceramente nem me lembro o nome.

Apesar do parque olímpico ser um pouco fora de mão pra quem mora mais perto do centro, assistir à alguns jogos do torneio é uma experiência interessante. O local tem um infraestrutura excelente, apesar da comida das barracas e lanchonetes ao redor não ser das melhores! O custo não é dos mais altos, em torno de 45 dólares o ingresso para a quadra central – caso você só queira assistir aos jogos das quadras secundárias durante a semana, o chamado ground pass estava apenas 9 dólares.

Na semana seguinte embarcamos pra Melbourne para o Aberto da Austrália, que fica para o próximo post! De qualquer forma, aproveitando que Roland Garros está acontecendo justamente nessas duas semanas, caso interesse, fica o relato da nossa passagem por lá em 2008 para a partida de despedida do Guga: http://www.jetlag.com.br/?p=31

Anúncios