Principalmente pra quem mora em São Paulo e viaja muito de avião, a idéia de se ter uma estação de metrô no aeroporto, como é de praxe em muitas outras cidades grandes do mundo, agrada e muito. Mas vivendo em uma cidade onde isso existe, comecei a me perguntar se isso funcionaria de maneira eficaz no Brasil.

Aqui em Sydney existe um aeroporto com 2 terminais, um doméstico e outro internacional, cada um com sua própria estação de trem. O preço do ticket é diferenciado e o passe semanal/mensal não pode ser usado para se embarcar/desembarcar nessas duas estações – existe uma taxa extra de aproximadamente 15 dólares para cada embarque ou desembarque nessas estações, ou seja, 30 dólares por pessoa pra ir e voltar de trem de casa até o aeroporto. Isso não chega exatamente a ser um problema (a não ser que você trabalhe no aeroporto e precise usar esse meio de transporte diariamente), já que um táxi do aeroporto até o centro da cidade deve ficar em torno de 100 dólares por trecho.

Para se seguir de trem até o aeroporto existe a necessidade de se fazer uma baldeação na Central Station, certamente a maior e mais movimentada da cidade. E andando pela estação você consegue facilmente identificar quem está indo para o aeroporto ou não: turistas com malas enormes, mochileiros, executivos com pastas e laptops, etc. Um viajante nunca passa despercebido.

Dito isso, fico me perguntando se eu sairia de casa em São Paulo, com uma mala cheia, documentos originais necessários para o embarque, passaporte, notebook, etc., pegaria o metrô no Ipiranga, faria baldeação na Ana Rosa, depois na estação da Sé e desembarcaria no aeroporto de Guarulhos. Aqui em Sydney talvez não exista esse problema, mas em São Paulo com certeza eu seria um alvo fácil de assalto pelo caminho todo. E numa viagem, seja ela de turismo ou de negócios, você carrega consigo coisas importantes e que com certeza você não está disposto a arriscar. Já é muito comum assalto a táxis saindo do aeroporto de Congonhas em São Paulo, onde o foco é o roubo de laptops, celulares e outros equipamentos eletrônicos – tenho certeza que pegando o metrô você se torna um alvo mais fácil ainda.

Mas enfim, como parece muito distante ainda o dia em que teremos estações de metrô nos aeroportos de São Paulo, não vou me alongar muito mais no assunto. Vou aproveitando por aqui a possibilidade de pegar o trem na porta de casa, descer na estação do aeroporto, subir na escada rolante e já sair direto na fila do check-in.

Anúncios